Serviços de orientação psicológica do EuSaúde podem ajudar quem lida com as tensões do trabalho remoto.

A pandeia da Covid-19 trouxe novos modelos de vida e de trabalho para muitas pessoas. O número de funcionários em escritórios foi drasticamente reduzido para evitar o contágio da doença, e o home office se popularizou.

De fato, trabalhar à distância tem suas vantagens: mais tempo em casa com a família, menos desgaste no trânsito e maior flexibilidade para organizar seus próprios horários.

Apesar disso, o desgaste físico e mental se fazem também bastante presentes em quem trabalha remoto. Uma pesquisa realizada pela empresa Workana, que entrevistou 2.810 funcionários em países das Américas e Europa – Brasil incluso –, mostrou que 43,7% das pessoas disseram que o home office resultou em impactos psicológicos.

Falta de um ambiente físico ideal para trabalhar, dificuldades para separar atividades domésticas das profissionais e incapacidade de se desligar totalmente do trabalho são alguns dos fatores que tornam o home office, muitas vezes, um desafio para manter a mente sã.

Em momentos de desgaste e ansiedade generalizada, profissionais da saúde, como psiquiatras e psicólogos, passaram a ser mais requisitados. O time do EuSaúde, por exemplo, instrui os pacientes para que o home office e as demais transformações vividas na atualidade não sejam um fardo tão grande para a saúde mental.

Pedras no caminho do home office

Trabalhar em casa reduziu os riscos de exposição do novo coronavírus, mas conciliar tudo em um só ambiente revelou-se uma atividade não tão simples quanto parecia. O somatório de novidades causado pela adesão ao trabalho remoto, junto de uma pandemia letal, também tem desafiado o novo padrão corporativo. 

Muitas vezes o espaço que o trabalhador tem em casa não é adequado para que ele exerça a sua função por 8 ou mais horas por dia. Até mesmo a falta de uma cadeira adequada por gerar dores e problemas para a coluna. Alguns desgastes físicos começam com a falta de uma boa estrutura para o home office.

A falta de socialização também gera ansiedade, somada à dependência total dos eletrônicos para estar em contato com o time de trabalho. O medo de perder um encontro online por instabilidades da internet ou estar por fora do que está acontecendo, é uma emoção que vem com o trabalho remoto e que pode atingir os trabalhadores e prejudicar a ainda mais a interação com os colegas.

Para quem mora com a família e para quem tem filhos, o trabalho remoto também pode ser complicado, principalmente com as crianças em casa o dia todo. Os funcionários, quando estão no seu lar, são pais e mães em tempo integral e, muitas vezes, não conseguem separar as funções durante o dia. É muito comum que a criança clame por atenção enquanto os pais estão em reunião online, e isso contribui para um desgaste acumulativo.

O medo da perda de produtividade é uma questão problematizada também por muitas empresas que estão com funcionários em home office. Assim, muitos trabalhadores passaram a se cobrar mais para mostrarem a produtividade desejada. Ansiosos e sob pressão, eles não se permitem se desligar do trabalho nem depois do expediente, e passam a acordar e dormir com o celular em mãos, o que não faz bem à saúde.

Corpo e mente trabalhando bem no home office

Uma vez que a vacinação de toda a população ainda não tem prazo exato para ser realizada, o home office promete continuar por um bom tempo. Por isso é interessante que os trabalhadores encontrem maneiras de otimizar as atividades, buscando equilíbrio e qualidade de vida.

Algumas empresas até mesmo já confirmaram que irão continuar em modelo remoto ou até mesmo hibrido, devido aos benefícios que encontraram, incluindo a redução dos seus custos para manter um local de trabalho físico funcionando. Mais um motivo para aprender a lidar bem com o home office!

Confira algumas dicas a seguir:

  • Para ter um local de trabalho adequado, invista em uma bancada onde você possa realizar suas atividades e evite ficar sentado no sofá ou em um local em que precise apoiar o notebook no colo. Tenha também uma cadeira confortável, já que a tendência para quem trabalha em casa é passar muito tempo sentado. Abaixo você confere a postura ideal para se ter em frente a bancada do home office!
  • É importante que haja clareza sobre quais canais de comunicação serão utilizados pelos funcionários da empresa, para que não ocorra nenhum contratempo ou desalinhamento no fluxo de trabalho. Gerenciar uma equipe à distância requer da empresa esforços para que ninguém se sinta excluído. Para isso é necessário manter as informações, conversas, documentações e planos de ação abertos e disponíveis para qualquer membro do time de forma assíncrona. 
  • Saber separar o seu espaço de trabalho do ambiente familiar – mesmo que ambos estejam coexistindo -, faz com que o trabalho fique mais saudável. Para isso, tenha um espaço silencioso e tranquilo para realizar suas funções. Se possível, utilize fones de ouvido para se concentrar totalmente no trabalho e esteja em um local onde possa fechar a porta para não ser incomodado com frequência.
  • O grande responsável por uma maior carga horária de trabalho é o seu celular, por isso dê um tempo dos grupos virtuais de trabalho quando acabar o expediente. Entenda que o descanso é revigorante e importante para a sua produtividade no dia seguinte. Tire um tempo para os momentos em família, pratique exercícios físicos, se alimente bem e busque por boas noites de sono, longe dos eletrônicos.

Vimos que saúde mental e trabalho andam lado a lado. Apesar dos esforços pessoais para manter todas as esferas da vida em equilíbrio, muitas vezes precisamos da orientação de um profissional da saúde. Em meio às angústias agravadas pela pandemia, é mais do que normal se sentir fragilizado e desgastado. Por isso, não tenha vergonha e medo de pedir ajuda. O EuSaúde conta com um time especializado para te ajudar a manter sua saúde mental em dia!

Agende uma consulta com um psicólogo EuSaúde já!