Você sabia que doar leite materno pode ajudar a salvar a vida de bebês prematuros?

A missão é promover, incentivar, proteger e apoiar o aleitamento materno, coletar e distribuir leite humano com qualidade certificada e contribuir para a diminuição da mortalidade infantil.

O leite humano tem 250 fatores de proteção já comprovados, enquanto o leite artificial ou formulado possui zero. Qualquer mãe saudável que estiver amamentando e tiver leite excedente pode fazer a doação, que deve acontecer em bancos de leite.

O leite humano doado sofre um processo de pasteurização e é destinado a bebês prematuros ou que estejam internados em Centro de Terapia Intensiva (CTI) neonatal.

Quer tirar suas dúvidas com um profissional de saúde? Clique aqui e conheça todos os serviços do EuSaúde!

Como tirar e armazenar o leite materno?

Para estocar o leite, é necessário higienizar as mãos, realizar massagem nas mamas e a ordenha com as mãos ou bombinha de sucção, desprezando os primeiros jatos ou gotas. O leite deve ser armazenado em qualquer frasco com tampa que puder ser esterilizado, fervido por 15 minutos. O leite ordenhado não pasteurizado em banco de leite pode ficar 24 horas na geladeira e 15 dias no freezer. Lembre-se de anotar as datas nos frascos antes de congelar. Todo leite materno aquecido e não utilizado deve ser desprezado.

Leia também: Aleitamento prolongado reduz risco do câncer de ovário

Como oferecer leite ordenhado ao bebê

O leite a ser oferecido ao bebê deve ser aquecido em banho-maria e oferecido em um copinho. Não utilize mamadeiras, porque a sucção é mais fácil, podendo levar o bebê a recusar o peito.

Para mais informações, visite a página da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano. (https://rblh.fiocruz.br/pagina-inicial-rede-blh)

Ainda tem dúvidas sobre este assunto? Clique aqui,  compartilhe suas experiências e faça perguntas aos nossos profissionais da saúde.

Referências: FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA (UNICEF); BRASIL. Ministério da Saúde. Promovendo o aleitamento materno. Brasília, DF: MS, 2007.

LAMOUNIER, J. A. et al. Iniciativa Hospital Amigo da Criança, mais de uma década no Brasil: repensando o futuro. Rev Paul Pediatr, v. 26, n. 2, p. 161-169, 2008.