Asma: entenda sobre a doença crônica mais comum no país - EuSaúde
Mulher branca, cabelos curtos e ruivos. Ela está com os olhos fechados e boca semiaberta inalando uma bombinha. A mão esquerda está posicionada sobre o peito.

Asma: entenda sobre a doença crônica mais comum no país

Por: Equipe EuSaúde
Data: 10/05/2021

O portador precisa se conhecer, conhecer o processo da sua doença, seus agentes de irritação e evitar as situações que desencadeiam a falta de ar

O Dia Mundial da Asma é celebrado em maio e tem como objetivo conscientizar a população a respeito da doença respiratória crônica que afeta as vias respiratórias e o pulmão.

Segundo Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) cerca de 6,4 milhões de brasileiros acima de 18 anos são asmáticos.

Aproximadamente 4 milhões de pessoas têm Asma Grave no Brasil. E, nesse grupo, há 1 milhão de casos nos quais a doença não está controlada. 

Atualmente há cerca de 235 milhões de pessoas com asma no mundo, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A doença, também conhecida como “bronquite asmática” ou como “bronquite alérgica”, está presente em todos os países do mundo, independentemente do nível de desenvolvimento.

Respirar fundo, em meio ao cenário de pandemia, pode ser complicado para muitas pessoas. Para quem tem asma, respirar fundo às vezes pode ser difícil. O problema pode ser grave, não tem cura, mas pode ser controlado. Há casos também em que pessoas desenvolvem crises asmáticas na infância e nunca mais desenvolvem “exacerbações”, como chamamos a crise asmática.

Para isso, é fundamental entender suas causas, como pode ser diagnosticada e formas de tratamento. Na maior parte dos casos, a doença tem controle por meio de um plano de ação definido junto ao médico e uso de medicamentos preventivos.

Com a melhor compreensão da doença por parte dos portadores e a distribuição de medicamentos para os pacientes asmáticos graves, vem-se observando uma queda no número de internações e mortes por asma no Brasil.

Afinal, o que é asma?

A asma pode ser definida como um processo inflamatório crônico das vias aéreas, que dificulta a passagem do ar provocando contrações ou broncoespasmos. As crises comprometem a respiração, tornando-a difícil.

Quando os bronquíolos inflamam, segregam mais muco, o que aumenta o problema respiratório. Na asma, expirar é mais difícil do que inspirar, uma vez que o ar viciado permanece nos pulmões provocando sensação de sufoco.

Causas da asma

A asma é resultado da integração entre alterações genéticas e fatores ambientais e biológicos. A doença possui alguns fatores de risco.

Alergias a poeira, ácaro, mofo e pelos de animais podem desencadear a doença. Outros fatores que podem contribuir são as infecções, como gripes, resfriados, sinusites e viroses.

Além disso, mudanças no clima, fumaça, poluição, frio, medicamentos e aspectos emocionais também podem gerar uma crise. A prática de exercícios vigorosos pode agravar os sintomas.

Instalada a crise, pacientes adultos (e, se crianças, seus pais) podem entrar em pânico, o que agrava o problema.

O traço genético da asma é o responsável pela impossibilidade de “cura”, exatamente como na hipertensão arterial, diabetes e outras doenças geneticamente determinadas.

Sintomas da asma

Os sintomas de asma costumam surgir de forma repentina ou após a pessoa se expor a algum fator ambiental que cause alteração nas vias respiratórias.

Entre os sintomas mais indicativos de asma, estão:

  • Falta de ar;
  • Dificuldade para encher os pulmões;
  • Tosse, especialmente à noite;
  • Sensação de pressão no peito;
  • Chiado ou ruído característico ao respirar (também conhecido como “miado de gato”)

Diagnóstico da asma

O diagnóstico da asma é principalmente clínico, obtido após consulta e avaliação pelo médico, mas também é confirmado pelo exame físico e pelos exames de função pulmonar (espirometria) e testes de bronco-provocação, onde o médico tenta desencadear uma crise de asma e oferece o remédio da asma, para verificar se após o seu uso os sintomas desaparecem.

Tratamento da asma

Como a asma não tem cura, o tratamento deve ser feito por toda a vida e seu objetivo é melhorar a qualidade de vida da pessoa, por meio do controle dos sintomas e pela melhora da função pulmonar. 

É importante que a pessoa asmática reduza a exposição aos agentes que podem desencadear uma crise asmática, como o contato com animais, tapetes, cortinas, poeira, locais muito úmidos e com mofo, por exemplo.

Também são utilizados medicamentos para alívio rápido dos sintomas e para manutenção do controle da crise. A base do tratamento da asma persistente é o uso continuado de medicamentos com ação anti-inflamatória, também chamados controladores, sendo os corticosteroides inalatórios (“bombinhas”) os principais. Pode-se associar também medicamentos de alívio, com efeito broncodilatador.

A prática regular de exercícios físicos para pacientes com a doença controlada e sob orientação médica também pode ser indicada para o tratamento, visto que melhora a capacidade cardíaca e respiratória do indivíduo.

Recomendações para quem tem asma

As crises de asma podem durar desde pouco minutos até dias, apresentando perigo se o fluxo de ar ficar muito restrito. Isso pode fazer com que a pessoa se sinta sufocada, ansiosa e até entre em pânico.

Para evitar uma crise de asma ou para controlar uma que já tenha se instalado, siga as dicas a seguir:

  • Faça acompanhamento regular com médico especialista;
  • Evite ambientes fechados, com pouca ventilação e sem luz do sol;
  • Areje a casa para não acumular poeira e evitar mofo;
  • Reforce a limpeza da casa, inclusive se tiver animais porque os pêlos são um fator para crises;
  • Lave as roupas de cama, sempre as trocando para não acumular ácaros, assim como os travesseiros;
  • Evite exposição à fumaça de cigarro, poluição, poeira, frio e outros fatores desencadeadores de crises;
  • Esteja sempre com os remédios prescritos pelo médico e a bombinha em mãos.
  • Caso a crise já tenha começado, sente-se em uma posição confortável e tente se acalmar. Muitas vezes a crise fica mais séria, pois a pessoa se desespera e não consegue controlar a situação;
  • Em meio à crise, caso não consiga se acalmar ou não tiver nenhum remédio para asma, procure ajuda médica o quanto antes.

Como o EuSaúde pode ajudar

Por ser uma clínica virtual, com atendimentos 24 horas, 7 dias da semana, os pneumologistas do EuSaúde estão sempre disponíveis para atender pacientes asmáticos, orientá-los em relação às crises, fazer prescrições de medicações e pedidos de exames, tudo através das teleconsultas.

Para as pessoas com suspeita de asma, os médicos do EuSaúde também estão preparados para, através do atendimento online, fazer diagnósticos precisos e colaborar para a manutenção da saúde do paciente, com o objetivo de manter a doença controlada e impedir o seu agravamento.

Contrate nossos serviços agora mesmo!

Post Relacionados

Cardiopatias congênitas: as doenças do coração que nascem com a pessoa

Cardiopatia congênita é uma doença do coração que surge ainda na fase de formação do…

Atenção primária: como ela beneficia você e o sistema de saúde

Hoje em dia, é normal que uma pessoa com dor de cabeça, procure um neurologista.…

Dia da Imunização: o mundo todo só pensa em vacinas!

Seja em forma de gotinhas ou através das agulhas, as vacinas são extremamente necessárias para…

Problemas na tireoide: causas, sintomas e formas de tratamento

Você provavelmente já ouviu falar sobre tireoide, mas ficou na dúvida a respeito de onde…

Gravidez tardia: riscos e cuidados para quem quer engravidar depois dos 35

Ainda que engravidar seja o sonho de grande parte das mulheres, muitas delas vêm optando…

Sintomas respiratórios mais comuns e quando buscar ajuda médica

O Dia do Pneumologista, especialidade médica responsável pelo tratamento das patologias das vias aéreas inferiores,…

Saúde da mulher: reflexões e desafios em tempos de pandemia

Por muitos anos as mulheres foram reprimidas e não tiveram acesso à informação, liberdade de…

Métodos contraceptivos femininos: como escolher o ideal para você?

Durante a história da humanidade, homens e mulheres nem sempre estavam dispostos e interessados em…

AVC em mulheres: fatores de risco e sintomas

De acordo com o Ministério da Saúde, as doenças cerebrovasculares estão no segundo lugar no…

Doença de Parkinson: é possível ter qualidade de vida após o diagnóstico?

No Brasil, aproximadamente 200 mil pessoas convivem com a enfermidade que, apesar de não ter…

Por que o EuSaúde deve ser a sua clínica de telemedicina?

A telemedicina, medicina exercida através das tecnologias da informação, vem se popularizando por possibilitar que…

Hipertensão arterial: entenda a doença e sua relação com a Covid

Popularmente conhecida como “pressão alta”, a hipertensão é uma síndrome metabólica, muitas vezes acompanhada por…

Como o EuSaúde Educação colabora para o retorno das aulas presenciais

O momento de volta às aulas presenciais pode gerar certa angústia em pais, alunos e…

Fibromialgia: os desafios da doença invisível

Dia Mundial da Fibromialgia reforça importância do diagnóstico precoce A fibromialgia é considerada uma das…

Asma: entenda sobre a doença crônica mais comum no país

O portador precisa se conhecer, conhecer o processo da sua doença, seus agentes de irritação…