Artigo: peculiaridades do Brasil e suas influências no comportamento da pandemia - EuSaúde
EuSaúde Responde - Tira dúvidas sobre a vacina Covid19

Artigo: peculiaridades do Brasil e suas influências no comportamento da pandemia

Por: EUSaude
Data: 28/05/2020

Peculiaridades do Brasil e suas influências no comportamento da pandemia

Artigo asinado por Fillipe Loures, médico de Família e Comunidades, e coordenador médico do projeto EuSaúde, do Grupo RCS.

O Brasil é um país singular, se comparado às demais nações do planeta. Vários fatores contribuem para essa peculiaridade: dos geográficos aos culturais, dos demográficos aos econômicos. Começando pelo clima, muito tem se falado que o calor pode reduzir a transmissão do vírus, o que ainda não foi completamente comprovado. A evolução da pandemia em estados como Ceará e Amazonas, sabidamente marcados por clima quente na maior parte do ano, nos mostra que a disseminação do vírus pode não respeitar a suposta proteção conferida por elevadas temperaturas. Ademais, estamos nos aproximando do inverno, época de maior incidência de infecções respiratórias, o que pode dificultar a diferenciação entre casos de COVID-19 e outras doenças.

O território brasileiro possui dimensões continentais, sendo o 5° maior país do mundo, com a 6ª maior população. Já ao analisar a densidade populacional, o Brasil encontra-se nas últimas posições. Porém, apesar de ter uma proporção relativamente baixa de pessoas por território, grande parte da população encontra-se concentrada em alguns centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Fortaleza e Belo Horizonte. Se por um lado estamos relativamente protegidos contra uma rápida disseminação do coronavírus, em razão da distância entre as cidades, por outro observamos o risco de uma forte escalada no número de casos nos grandes centros urbanos, semelhante ao que foi observado na Itália e em Nova Iorque, por exemplo.

Outro fator importante a se observar é a constituição da população por faixa etária. O Brasil encontra-se em transição demográfica, com aumento do percentual de idosos em todas as regiões do país. Sabendo que a população idosa é a mais vulnerável às formas graves de COVID-19, poderemos nos deparar com um cenário de muitas internações hospitalares com elevada taxa de permanência em enfermaria e CTI. Porém, o percentual de idosos na população brasileira é significantemente menor que a de países que sofreram com alto número de óbitos pela doença, como Itália e Espanha.

Do ponto de vista social e econômico, o Brasil é considerado o 7° país mais desigual do mundo, atrás apenas de nações africanas, o que quer dizer que uma pequena parcela da população detém grande parte dos recursos econômicos disponíveis. Isso pode se refletir em distorções de políticas públicas de combate à pandemia, resultando em decisões que privilegiam interesses econômicos de poucos em detrimento da necessidade de muitos. Além disso, o elevado número de pessoas vivendo em lares diminutos, aglomerados e pouco ventilados contribui para que a disseminação do vírus ocorra de forma mais rápida nessa população, que é justamente a que tem mais dificuldade em acessar os serviços de saúde.

Diante de fatores tanto contrários quanto favoráveis, a evolução da pandemia no Brasil é uma incógnita. A melhor solução continua sendo o isolamento social e as práticas de prevenção; assim conseguimos anular os fatores contrários e potencializar os favoráveis, caminhando rumo a um cenário de menor circulação do vírus, evitando o temido colapso do sistema de saúde.

Post Relacionados

Atenção primária: como ela beneficia você e o sistema de saúde

Hoje em dia, é normal que uma pessoa com dor de cabeça, procure um neurologista.…

Dia da Imunização: o mundo todo só pensa em vacinas!

Seja em forma de gotinhas ou através das agulhas, as vacinas são extremamente necessárias para…

Problemas na tireoide: causas, sintomas e formas de tratamento

Você provavelmente já ouviu falar sobre tireoide, mas ficou na dúvida a respeito de onde…

Gravidez tardia: riscos e cuidados para quem quer engravidar depois dos 35

Ainda que engravidar seja o sonho de grande parte das mulheres, muitas delas vêm optando…

Sintomas respiratórios mais comuns e quando buscar ajuda médica

O Dia do Pneumologista, especialidade médica responsável pelo tratamento das patologias das vias aéreas inferiores,…

Saúde da mulher: reflexões e desafios em tempos de pandemia

Por muitos anos as mulheres foram reprimidas e não tiveram acesso à informação, liberdade de…

Métodos contraceptivos femininos: como escolher o ideal para você?

Durante a história da humanidade, homens e mulheres nem sempre estavam dispostos e interessados em…

AVC em mulheres: fatores de risco e sintomas

De acordo com o Ministério da Saúde, as doenças cerebrovasculares estão no segundo lugar no…

Doença de Parkinson: é possível ter qualidade de vida após o diagnóstico?

No Brasil, aproximadamente 200 mil pessoas convivem com a enfermidade que, apesar de não ter…

Por que o EuSaúde deve ser a sua clínica de telemedicina?

A telemedicina, medicina exercida através das tecnologias da informação, vem se popularizando por possibilitar que…

Hipertensão arterial: entenda a doença e sua relação com a Covid

Popularmente conhecida como “pressão alta”, a hipertensão é uma síndrome metabólica, muitas vezes acompanhada por…

Como o EuSaúde Educação colabora para o retorno das aulas presenciais

O momento de volta às aulas presenciais pode gerar certa angústia em pais, alunos e…

Fibromialgia: os desafios da doença invisível

Dia Mundial da Fibromialgia reforça importância do diagnóstico precoce A fibromialgia é considerada uma das…

Asma: entenda sobre a doença crônica mais comum no país

O portador precisa se conhecer, conhecer o processo da sua doença, seus agentes de irritação…

Telemedicina: o que é e como ela pode te ajudar

Extremamente revolucionária e necessária nos dias de hoje, a telemedicina como conhecemos é um recurso…