Estudo conclui que amamentar por mais tempo pode ser benéfico para a mulher. 

Um estudo feito na Austrália sugeriu que períodos de amamentação mais longos diminuem o risco para o desenvolvimento do câncer do ovário. O estudo feito com mulheres asiáticas morando na China.

Os indicadores avaliados no estudo apontaram para os seguintes resultados:

  • Em mulheres que amamentaram durante mais de 31 meses, o risco de câncer do ovário diminuiu 91%, quando comparadas com aquelas que amamentaram menos de dez meses. 
  • Em mulheres que amamentaram três ou mais crianças, o risco de câncer do ovário diminuiu 62%, quando comparadas com aquelas que amamentaram apenas uma criança.

Assista ao vídeo especial do EuSaúde sobre tudo que você precisa saber sobre a amamentação.

Está com dúvidas e quer conversar agora com profissionais de saúde? Clique aqui e assine o EuSaúde!

Prevenção 

O câncer do ovário é difícil de diagnosticar e tratar; por esse motivo, sempre foi desejada uma medida preventiva. Os investigadores pretendiam arranjar uma forma de ajudar as mulheres a prevenir essa doença. 

Além disso, existem estudos que demonstram que a amamentação também diminui o risco de câncer de mama. O aleitamento mais prolongado permite que a mulher esteja menos exposta a níveis muito elevados de hormônios, o que explica a existência da relação negativa entre a duração do aleitamento materno e o risco de câncer do ovário.  

Ainda tem dúvidas sobre este assunto? Acesse nossas redes sociais, compartilhe suas experiências e faça perguntas aos nossos profissionais da saúde.